O que observar na escolha de uma agência de marketing digital

Por Julio Oliveira, CEO da Novacia

Para você entender como iniciar a jornada de transformação digital em sua empresa, ou mesmo para quem já embarcou nessa, compartilhamos aqui um artigo escrito pelo nosso CEO, com alguns dos pontos mais importantes desse caminho. Boa leitura!

Vou tentar definir uma metodologia da maneira como eu vejo a escolha de “companheiros de jornada”, aqueles que alguns chamam de parceiros.

1. GOSTEI DELE

Eu me identifico com ele. Parece uma coisa secundária, mas para mim essa é a primeira grande escolha. Precisa ter empatia. Nosso negócio é comunicação, e ter empatia faz toda a diferença. É como se tivéssemos pactuado o chamado “bom senso”. Ou seja, se tivermos algo errado, teremos um terreno comum para dirimir esses problemas. Temos valores parecidos, expectativas semelhantes, enfim, há um senso comum. Isso é fundamental.

"Resultados passados fazem das questões presentes menos subjetivas e mais palpáveis"

2. RESULTADOS

Ter resultados para apresentar. Legal, legal, mas o resultado que vai me entregar tem muito a ver com o resultado que já entregou. OK, só que o resultado passado não garante o resultado futuro. Mas, cá entre nós, dá uma boa visão do que esperar. Mais que isso, mostra o que esperar. É como se definíssemos uma etapa muito importante do processo de comunicação, que é fazer a gestão de expectativas. Resultados passados fazem das questões presentes menos subjetivas e mais palpáveis, tornando tudo mais confortável. E tornar as coisas mais confortáveis é sempre muito bom.

3. O TAL DO BRIEFING

Entender o briefing é uma arte. É, normalmente, o momento mais importante de qualquer job. Bom, pelo menos na minha opinião. Mais do que feelings de outro planeta, o mais importante é avaliar o quanto ele se encaixa no seu cenário, na sua ótica, para entender tudo o que é preciso saber para produzir uma boa proposta. Se colocar no lugar do outro, a meu ver, pressupõe que a pessoa se conheça razoavelmente. Sim, porque é muito difícil alguém se colocar no lugar do outro sem saber quem ele é. Por isso, essa etapa é tão difícil, e se alguém tem talento para isso, sai na frente comigo.

"Se colocar no lugar do outro, a meu ver, pressupõe que a pessoa se conheça razoavelmente"

4. BOA PROPOSTA

Aqui, o importante é saber o quanto nosso fornecedor é protagonista. Seja lá o que a demanda pedir, quando o fornecedor de partes específicas entra, ele tem que trazer seu know-how, seu jeito de fazer, mesmo que isso signifique dar um passo para trás em relação a algo pré-definido. Pelo menos para a gente avaliar junto. Ou seja, tem que ter reflexão crítica. É o mínimo que eu espero de um companheiro de jornada.

5. SINERGIA

Bom, um mais um tem que ser mais que dois quando o assunto é companheiros de jornada. É uma das coisas que mais faz diferença na escolha de parceiros estratégicos, e por isso é tão difícil encontrá-los na vida. Ou seja, nós, clientes, temos que ter talento para encontrar os melhores fornecedores e, talvez, essa seja a lição mais difícil. Normalmente, achamos que temos o dinheiro e o universo vem até nós. Pode ser verdade, mas o melhor universo é aquele relacionamento que vai dar passos largos adiante, criar boas dúvidas, gerar soluções que ainda não demos. Lembre-se: a sinergia só é construída junto do outro. Entender o papel desse outro é exercitar humildade e, ao mesmo tempo, cobrar uma metodologia de escolha que faça sentido. Como fiz por meio deste artigo.

"Nós, clientes, temos que ter talento para encontrar os melhores fornecedores e, talvez, essa seja a lição mais difícil"

6. CASE

Foi isso que aconteceu com um cliente nosso da área da educação. Temos uma parceria de anos em off-line com ele: ativação de marca, campanhas de produto, produção de vídeos. E quando sugerimos pilotar a campanha digital, baseamos nossa estratégia na construção de conteúdos proprietários. Por um lado, fizemos vídeos com professores e autores falando sobre os diferenciais de seus livros e como o uso deles em sala de aula faria a diferença. Em outra editoria, pontuamos temas transversais e materiais de apoio ao professor. Enfim, boa parte dessa produção de Inbound Marketing foi patrocinada, levando públicos qualificados ao site onde encontravam tudo que foi disponibilizado. Nesse caminho, criamos momentos de fidelização e, com isso, estabelecemos nossas bases para relacionamento futuro, para poder voltar ao funil de vendas e começar tudo de novo, buscando cada vez mais eficácia nas ações.

Pode não parecer, mas é uma metodologia estruturada que sigo há 30 anos. E tem dado muito certo também no ambiente digital.

Agora que você já tem todo esse conteúdo, que tal usar tudo isso para construir suas histórias e ter ainda mais relevância nas redes sociais? E, claro, se precisar impulsionar ainda mais a sua marca, conte com a gente ;)

Compartilhe esse artigo:

Facebook pinterest